Segundo o presidente do congresso, Wilson Shcolnik, diretor de Acreditação e Qualidade da SBPC/ML, a medicina laboratorial reflete a evolução do conhecimento científico através de inovações que ocorrem constantemente no setor como, por exemplo, a disponibilidade de um número cada vez maior de marcadores laboratoriais oferecidos e usados na prática médica.


“Hoje já se fala na nova direção da medicina, traduzida pelos ‘4P’: preditiva, personalizada, preventiva e participativa, onde os exames moleculares têm papel central. É a oportunidade ímpar de reverter o conceito de que tudo é resolvido pela automação laboratorial, muitas vezes usada para desvalorizar os serviços oferecidos pelos laboratórios”, diz o patologista clínico.

Ele destaca que cabe à SBPC/ML, em sua missão como sociedade médica e científica, mostrar as modificações que têm ocorrido no papel dos laboratórios clínicos e abrir espaço para que os profissionais que neles atuam participem desse novo cenário e se integrem às equipes de saúde.

O presidente do congresso diz que o profissional de laboratório deve se capacitar para conscientizar os demais integrantes do sistema de saúde sobre a importância de evitar desperdícios e da otimização em um ambiente onde os recursos são finitos e insuficientes.

Segundo ele, um exemplo de contribuição possível é fornecer resultados de exames acompanhados de comentários elucidativos, baseados em evidências científicas que ajudem a interpretação do médico assistente.

“Ficaremos muitos satisfeitos se, após o 48º Congresso, nossos profissionais saírem capacitados a discutir e responder a perguntas como: ‘Este exame contribui para a melhora clínica do paciente? Ele ajuda a resolver o problema clínico de forma rápida e menos invasiva? Vale a pena investir dinheiro na realização de tal exame?’, segundo proposição de Anonychuk e colaboradores”, conclui Shcolnik.

O médico francês Luc Paris é um dos convidados estrangeiros do 48º Congresso da SBPC/ML. Ele apresentará a conferência magna "Recentes avanços no diagnóstico laboratorial da toxoplasmose e a contribuição na abordagem do paciente imunossuprimido e na gestante", no dia 11 de setembro, das 11h30 às 12h30.

As conferências magnas acontecem uma em cada dia, em horário sem outra atividade simultânea para que todos os participantes do congresso possam assistir.

Formado em medicina pela Universidade Paris XII, ele também é diplomado em Medicina Tropical pela Universidade Paris V, possui os certificados de Estudos Especiais em Parasitologia (Universidade Paris V) e de Estudos Superiores em Biologia Humana de Parasitologia Geral (Paris XII) e o diploma de Estudos Avançados em Parasitologia, Micologia e Patologia (Universidade Montpellier I).

Desde 1987, é médico em tempo integral do Laboratório de Parasitologia e Micologia do Hospital Universitário Pitié Salpêtriére-Charles Foix, em Paris.

O laboratório, que é considerado uma das duas referências na França para malária, participa da rede de centros de referência naquela país para toxolplasmose e tem convênio com o Institut National de Veille Sanitaire — Instituto Nacional de Saúde da França — para diagnóstico e pesquisa em doença de Chagas no país.

Luc Paris tem mais de 20 trabalhos publicados nas áreas de toxoplasmose, doença de Chagas, malária e outras doenças parasitológicas.

Esta atividade é viabilizada pela Roche.

Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial: Boas Práticas em Microbiologia Clínica é o nome do livro que será lançado no dia 10 de setembro, durante o 48º Congresso da SBPC/ML.

Além de apresentar as recomendações da SBPC/ML e discutir as boas práticas em microbiologia clínica, a publicação aborda tópicos importantes e dúvidas mais frequentes sobre esse tema na rotina diária.

"A microbiologia clínica é uma das grandes áreas do laboratório. As atividades relacionadas com vistas à elucidação diagnóstica podem ser caracterizadas como de alta complexidade e se constituem em um processo que desafia os profissionais", diz o patologista clínico Nairo Sumita, diretor científico da SBPC/ML e um dos organizadores da publicação.

Ele acrescenta que o livro foi escrito em linguagem simples e direta por uma equipe multidisciplinar composta por profissionais formadores de opinião e com grande experiência na área de microbiologia clínica e se constitui em uma fonte de consulta importante para quem trabalha em laboratório clínico e estudantes.

O conteúdo aborda a área física do laboratório de microbiologia e a legislação vigente; biossegurança; rotinas em microbiologia relacionadas à urocultura, hemocultura, cultura de líquidos cavitários, de secreções e catéter, de fungos, de líquor e cultura para Candida e para micobactérias; antibiograma; controle interno da qualidade; ensaios de proficiência; biologia molecular; espectrometria de massas Maldi-Tof; infecções bacterianas emergentes; automação; verificação e validação de procedimentos; treinamento e desenvolvimento; gestão de equipamentos e indicadores da qualidade.

O livro tem o apoio de BD, BioMérieux, Plastlabor, Probac e Roche. O lançamento será no estande da SBPC/ML no 48º Congresso e os congressistas inscritos regularmente poderão retirar um exemplar gratuitamente. Depois, o arquivo completo do livro, em "pdf", estará disponível para download gratuito no site da SBPC/ML (www.sbpc.org.br).

A conferência magna do dia 12 de setembro, no 48º Congresso da SBPC/ML, será apresentada das 11h30 às 12h30 pelo médico Christopher deFilippi, dos EUA. O tema é “Peptídeos natriuréticos - Estado da arte do diagnóstico ao prognóstico na insuficiência cardíaca”.

Formado em 1998 pela Universidade de Rochester, foi fellowship em cardiologia entre 1991 e 1994, no Hospital Parkland Memorial da Universidade do Texas. De 1994 a 2000 foi professor assistente no Centro Médico da mesma universidade, e também diretor assistente de Ecocardiografia, codiretor e, depois, diretor da Unidade de Cardiologia.

Atualmente, é diretor de Ecocardiografia e professor associado da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland, onde também ocupou os cargos de codiretor e diretor do Programa Cardiovascular.

Christopher deFilippi também é consultor do corpo de editores das publicações Journal of American College of Cardiology e Journal of American College of Cardiology Heart Failure, e revisor de artigos para diversas publicações de destaque nos EUA e na Europa, nas áreas de cardiologia, doenças renais e química clínica.

É coautor de cerca de 200 publicações, entre artigos peer review (revisão por pares), capítulos de livros e diversos outros artigos nas áreas de doenças cardiovasculares, marcadores cardíacos e temas relacionados.

Esta atividade é viabilizada pela Radiometer

A festa de confraternização do 48º Congresso da SBPC/ML tem data, hora e local marcados. Será no dia 12 de setembro, a partir de 14h, no Clube Monte Líbano (Av. Borges de Medeiros, 701, bairro do Leblon), em frente à Lagoa Rodrigo de Freitas.

Receberá o convite para a festa somente quem fizer inscrição antecipada (pela Internet) no Congresso. Essas inscrições terminam em 28 de julho. Não haverá convite para inscrições feitas no local (no Centro de Convenções, durante o congresso).


A festa será animada pela banda "Soul de Quem Quiser", que explora o repertório de ritmos como o soul e o rock desde os anos 70, 80 e 90 até os sucessos recentes do pop. Cada música ganha uma interpretação especial através das vozes marcantes e da força dos metais e da base.

A "Soul de Quem Quiser" nasceu em 1994, inspirada na soul music apresentada no filme The Commitments, de Alan Parker. A identificação foi imediata e, na época, chegou a ser conhecida como "Os Commitments Cariocas". Mas com a inclusão de variações do pop soul mostrou que era muito mais do que isso e criou um estilo próprio e inconfundível.

Como prova de seu sucesso, desde 2010, a banda se apresenta na tradicional "Festa do Pão de Açúcar/Morro da Urca", que acontece no reveillon realizado no principal ponto turístico da cidade do Rio de Janeiro.

Após a sessão de encerramento do 48º Congresso da SBPC/ML, uma frota de ônibus levará os congressistas do Centro de Convenções SulAmérica diretamente ao Clube Monte Líbano. Será exigida a apresentação do convite para ter acesso aos ônibus e à festa.

Informações na seção Inscrição, página "Festa de confraternização".


Foto: divulgação/Humberto Souza/WideBrasil Comunicação

Desde 2011, os Congressos da SBPC/ML são realizados visando a sustentabilidade do evento. Este ano, a SBPC/ML vai além. Em seu planejamento, organização e realização, o 48º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial adota a Norma ABNT NBR ISO 20121:2012, que estabelece parâmetros para um Sistema de Gestão para Sustentabilidade de Eventos (SGSE).

Através dessa Norma será possível identificar quais são os impactos socioambientais e econômicos para que estes possam ser minimizados ou eliminados.
Entre as ações a serem tomadas, está o trabalho de aumentar a conscientização de todos para o uso dos recipientes de coleta seletiva de lixo; maior incentivo à montagem de estandes com materiais recicláveis e que produzam menor consumo de água e de energia; recomendação para a contratação de fornecedores e transportadores locais, com o objetivo de aumentar a geração de emprego e renda e, ao mesmo tempo, reduzir a emissão de CO2; destinação dos resíduos para instituições que trabalham com coleta seletiva e reciclagem, entre outros.
Essas iniciativas resultam em redução de custos, de água e de energia, menor geração de resíduos e um legado às comunidades da região, através da oferta de mais postos de trabalho e de menor impacto sobre a fauna e flora, além de aumentar a participação de todos os que estão envolvidos direta ou indiretamente na realização de um evento cada vez mais sustentável.

Para a gestão da sustentabilidade do 48º Congresso da SBPC/ML foi contratada a empresa Construambiental Desenvolvimento Sustentável.
A coordenação do trabalho está sob a responsabilidade do diretor de Eventos da SBPC/ML e coordenador Executivo do 48º Congresso, Armando Fonseca. Seu objetivo é cumprir o compromisso assumido publicamente no encerramento do Congresso de 2013, de diminuir cada vez mais os impactos dos eventos da SBPC/ML sobre o meio ambiente, até que, no Congresso de 2016, esses estejam neutralizados ou, como se diz no jargão ambientalista, “zerar a pegada de carbono”.

É com a máxima satisfação que apresentamos a todo o segmento laboratorial o 40° Congresso Brasileiro de Análises Clinicas, que nesta edição será realizado em Florianópolis, SC, no Costão do Santinho. 

A escolha deste maravilhoso resort, considerado pelas publicações especializadas como o melhor do Brasil, é parte importante do conjunto de inovações que a atual diretoria da SBAC vem implantando ao longo do seu mandato com a intenção única de propiciar aos colegas da nossa área tudo o que existe de mais positivo em ciência, tecnologia, e comunicação laboratorial., no sentido de procurarmos ser a mais importante Sociedade do segmento na América Latina. Como já anteriormente relatado, o alcance desta meta depende apenas da participação ativa dos nossos sócios e de todos os integrantes da cadeia produtiva laboratorial.

O Costão do Santinho, além das suas características inigualáveis de hotelaria localização geográfica oferece todas as condições de um magnífico Centro de Convenções, com área de exposições e amplas salas de aula. Teremos nestes dias o que existe de mais atual em conhecimento científico, qualidade laboratorial, tecnologia de ponta, esporte, cultura, lazer e gastronomia, tudo dentro do mesmo ambiente.

Preparem-se para dias maravilhosos.

Irineu Grinberg
Presidente
Para mais detalhes de como participar acessar o link abaixo.

http://www.cbac.org.br/

Pesquisadores da Escola Politécnica Federal de Lausanne (epfl.ch), na Suiça, desenvolveram um nanoscópio para observar células vivas, em tempo real, que permite criar imagens em três dimensões e rastrear a reação dessas células a vários tipos de estímulos, sem usar corantes ou fluoróforos, como a proteína Green Fluorescent (GFP, na sigla em inglês).

O aparelho produz imagens que são geradas capturando os reflexos de um laser de baixíssima intensidade, mesclado a um microscópio holográfico.

“Isto abre todos os tipos de novas oportunidades, como estudar os efeitos das substâncias farmacêuticas em nível de células individuais”, diz Yann Cotte, coautor do trabalho. Com o uso de “laser frio”, o aparelho combina microscopia holográfica com processamento digital de imagens para observar tecidos biológicos vivos com precisão em nanoescala.

 

As imagens obtidas são tridimensionais e incluem o interior da célula. Elas são geradas capturando os reflexos de um laser de baixíssima intensidade, de forma a minimizar os efeitos da luz e do calor sobre a célula. Um programa de computador mescla as imagens para eliminar os “ruídos” e ajustar as melhores áreas de foco.

O dispositivo ainda está em fase de protótipo, mas os pesquisadores já trabalham em uma versão em tempo real, que permitirá acompanhar as células ao vivo. Como as imagens são geradas sem a injeção de contrastes ou fluoróforos nas células, os resultados não são distorcidos pela presença de substâncias estranhas nas amostras.

O artigo Marker-free phase nanoscopy foi publicado em 20 de janeiro de 2013, no site Nature Photonics.

Fonte: Inovação Tecnológica